Buscar

OBJETOS DO ANTANHO

Nestes tempos de internet, vamos fazer um artigo mais visual. Vamos ver alguns antepassados de objetos de nosso cotidianos ( outros nem tanto)



VAI UM CHAZINHO AÍ?

Quem como eu, vem de uma família que imigrou do norte da Europa certamente conviveu com um destes

O Samovar era item obrigatório de sobrevivência, para se ter água quente dentro de casa nos 6 longos meses de frio. Ao contrário do que muitos pensam, não foi inventado na Rússia ou no Irã. Na Grécia antiga já se conhecia o Authepsa, um recipiente de barro com um tubo de metal no centro onde se colocavam brasas. Foi sim aperfeiçoado na Rússia, onde ganhou versões em prata, bronze, cobre ou latão, conforme as posses da família e o bulezinho no topo, que continha chá concentrado que era diluído com a água quente da torneira



QUEM ADIVINHA O QUE É ?

Apresento-lhes o avô das torradeiras, fabricado aprox. em 1790

Colocava-se o pão em fatias ( Não existia o pão de forma que é de 1921) e aproximava-se de uma fonte de calor, lareira ou fogo do fogão de lenha.

A haste lateral servia para virar o pão quando um dos lados já estivesse torradinho



RARIDADE

Só existe um exemplar conhecido desta tostadeira de louça decorada do fim do séc XIX, fabricada em Cleveland. O pão era colocado nas abas laterais e virado manualmente conforme tostasse



CUCUMBER STRAIGHTENER

Este curioso artefato foi criado na Inglaterra vitoriana a pedido do fornecedor “ By Appointment” de vegetais da Casa Real.

Ele não se conformava em servir para a rainha Vitória pepinos curvos, então teve a ideia de desentorta-los com estes tubos de vidro que acabaram ficando muito populares entre a classe rica inglesa

Por esta época foi também inventado o Cucumber Sandwich , acompanhamento de verão do Five O’ Clock Tea e consisitia de fatais de pão de Miga ligeiramente amanteigadas com fatias de pepino como recheio. Era considerado “refreshing” pelos membros da corte

Por seu alto custo ( eram soprados individualmente) e relativa inutilidade, os desentortadores foram abandonados uns 50/60 anos depois. Os sanduíches de peino podem ser achados em diversos bares e restaurantes ingleses até hoje.



DIA DE FAZER MANTEIGA E DOER O BRRAÇO

A Manteiga só começou a ser extensivamente oferecida a venda publica em finais do séc XVIII, início do séc XIX. Até então, era batida “ no braço” em casa. Para facilitar um pouquinho a vida das donas de casa e melhorar as dores no braço que ficavam por 2 a 3 dias depois do dia de fazer manteiga, foi inventado na Alemanha este batedor “automático” em meados do séc XVIII.



GEORGE WASHINGTON E OS LIMÕES

Limões eram um luxo nos Estados Unidos até meados do séc XIX, uma vez que praticamente todo consumo era abastecido com frutas importadas , fortemente tribiutadas. Tanto é que em seu livro Mulherzinhas de 1868, Louisa May Alcott conta da verdadeira mania que existia entre suas colegas de escola de consumir limões em conserva ( uma receita marroquina), pois era a única forma de uma família de classe média tê-los em casa

George Washington provinha de uma família pobre e, ficou fascinado pelos limões depois de ser apresentado a eles em sua campanha presidencial.

Um ferreiro amigo, presenteou-o com um espremedor manual de limões ( um dos primeiros, senão o primeiro fabricado nos EUA que levava sua efígie.



PROCESSANDO

Este é o avô de todos os processadores de comida. Criado em 1856 por John Spalding, envolveu 18 diferentes patentes na sua construção. Não foi bem aceito no mercado por seu alto custo e o projeto só foi retomado no início do séc XX



PESANDO OVOS

Apresento-lhes uma balança para ovos do ano de 1898. Pesquisei intensamente por que uma dona de casa de 1897 poderia necessitar de uma balança para ovos e confesso que não consegui descobrir



LE CHAIM ! SAÚDE !

Este é o primeiro modelo de saca rolhas “automático”, provavelmente do séc XIX. Era necessário fazer tanta força para abrir a concertina que quase se pode afirmar que o modelo tradicional era mais eficiente



E NO BANHEIRO...

Dispensers de papel higiênico de ferro fundido do tempo que o papel era quadrado e vinha em caixinhas – os rolos apareceram já no séc XX.



PASSA ROUPA TODO DIA...

Ferro de passar roupa a querosene de 1913. O depósito de querosene fica no cabo do ferro

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo